quarta-feira, 30 de maio de 2018

Para fugir ao tédio

Quando estou sem saber o que fazer, sem sair de casa, meu país como se estivesse no caos de uma guerra, volto a ler intensamente para manter minha mente ocupada com algo útil e deixar o tempo passar.

A leitura prazerosa nos deixa entretido e transmiti sabedoria. Então, vali-me de um velho livro de crônicas de Clarice Lispector esquecido aqui numa estante.

Há outro que também venho lendo que me traz saudades, como o do professor Woden Madruga, jornalista veterano da Tribuna do Norte, intitulado Na Gaveta do Tempo. Ainda arrisco correr os olhos pelos artigos de Ricardo Kotscho, em seu blog. Isso para saber como andam as coisas, em textos objetivos, simples e gostoso de ler.

O meu país anda insuportável, preocupando a quem busca a normalidade e perspectivas de melhoras. Parece que neste governo de mandato tampão do presidente Michel Temer não vamos conseguir. Ainda bem que faltam poucos meses para acabar.

Governo sem popularidade não evolui, a não ser que apele para o autoritarismo, impondo um regime ditatorial na base dos canhões e baionetas.

Ando meio assustado, desmotivado e de esperança fraca com tudo que está acontecendo. A greve dos caminhoneiros piorou o que já estava ruim.

O melhor mesmo é tomar uma ou duas taças de vinho para me acalmar depois de cada noticiário. Vinho que, com o salário cada vez mais magro, só consigo comprar depois de pesquisar nas promoções dos supermercados. Ô vida!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A bola tá rolando

Estamos iniciando mais uma Copa do Mundo que se realiza a cada quatro anos. Já fui convidado para o jogo de estreia do Brasil x Suiça d...

MAIS VISITADAS