quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Inadimplentes sofrem com ansiedade

Está aí uma pesquisa do SPC Brasil nos dizendo que, "quando devemos e não podemos pagar nossas contas, não é apenas a vida  financeira que saí prejudicada". Isso é claro para todo mundo, pois a saúde do corpo e da mente também fica comprometida.

Isso porque tal situação potencializa uma série de problemas que se acumulam e afetam todas as esferas da vida de uma pessoa. A não ser, evidentemente, que o devedor seja um caloteiro contumaz.

Pois bem um levantamento nacional realizado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e a CNDL – Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas constatou esse comportamento nos devedores destes tempos difíceis.

A pesquisa revela que o número de inadimplentes que passaram a se sentir mais ansiosos, após contraírem a dívida, cresceu nove pontos percentuais em relação ao ano passado. Passou de 60% para 69%, e assumiu a liderança no ranking de sentimentos que a má situação financeira mais desperta.

Na sequência sobressaem os sentimentos de insegurança (65%), estresse (64% com alta de seis pontos percentuais ante 2016), angústia (61%), desânimo (58%), sentimento de culpa (57%) e baixa autoestima (56%).

O levantamento ainda constatou que mais da metade dos inadimplentes (51%) sente-se envergonhada perante a família e amigos por se encontrarem nessa situação.

Na verdade, as dívidas deixam 52% dos inadimplentes mais facilmente irritados, e 46% passaram a ter menos vontade de se sociabilizar depois das contas atrasadas, segundo a pesquisa.

Moral da história: então, a cara de pau dos que dizem, francamente, que "devo, não nego; pago, quando puder" não é para todo mundo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fim dos radares

facebook.com/joseaecioacosta Inacreditável a notícia que diz "Após cancelar radares fixos, presidente [Jair Bolsonaro] quer fim do...

MAIS VISITADAS