segunda-feira, 9 de julho de 2018

Semana pós-eliminação

A semana começa com a ressaca da pós-eliminação do Brasil pela Bélgica nas quartas de final. É ruim ficar remoendo fato consumado. Mas bem que nossa seleção poderia ter passado adiante.

Talvez não estivéssemos num dia de estado de graça. As duas seleções se igualavam em bom futebol. Mas o Brasil desperdiçou chances de acertar o gol e oportunidades não se perde.

Se bem que concordo com Tostão, comentarista esportivo e ex-jogador da seleção brasileira. Faltou ao Brasil um craque no meio de campo para um melhor desempenho coletivo.

Acertar bola na trave no início da partida e cometer gol contra são sinais de favorecimento ao adversário e de que a coisa não está indo bem. Sorte dos belgas que acertaram nas jogadas.

Mas futebol é assim mesmo, tem dia que dá certo e dia que não, apesar de se encontrar justificativa para apontar erros e falhas em campo. Deu no que deu.

A meu ver, a seleção do Tite realizou boa campanha no mundial, e a partir daí deve voltar a se preparar para a próxima Copa sem mudar de treinador.

Precisa sim, buscar a perfeição técnica e tática, testando novos talentos e harmonia no conjunto para chegar ao hexacampeonato tão cobiçado pela torcida brasileira.

Creio que a perfeição – ou quase isso –  demanda tempo de preparo e quanto mais cedo começar melhor. Até lá, em 2022, no Qatar, mais atletas talentosos deverão surgir para uma boa seleção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O dever de casa

Por que é que o Ceará faz o dever de casa, mas o governo do Rio Grande do Norte não? Quando eu estive em Fortaleza, entre final de agosto...

MAIS VISITADAS