sábado, 6 de outubro de 2018

A onda das fake news

Nada menos que 75% dos brasileiros e brasileiras temem que as "fake news", notícias falsas, influenciem seu voto, revela pesquisa da Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas e Serviço de Proteção ao Crédito (CNDL/SPC Brasil).

Nessa onda surfam 34% dos entrevistados que compartilham notícias de política nas redes sociais, e 60% que procuram checar a veracidade daquilo que lhe é enviado.

Mas entre o universo de entrevistados pela pesquisa, apenas 29% acompanham o horário eleitoral gratuito para se informar sobre propostas de campanha.

Essa nova forma de fazer política partidária nas redes sociais tipo Facebook, Twitter e WhatsApp se consolida como uma das principais ferramentas da propaganda de candidatos e de informação no processo eleitoral atual, de acordo com o que vemos.

No entanto, a disseminação de notícias falsas nesses meios é um problema que afeta a formação do pensamento crítico da população, segundo estudiosos do assunto.

Por isso que, essa constatação, de que 75% temem que as notícias falsas, mentirosas, caluniosas, difamatórias influenciem o voto da população, é um dado bastante preocupante hoje em dia.

Pelo menos até aqui, não vi a Justiça Eleitoral combater esse cinismo das fake news, que corre solta nas mídias sociais, contaminando o ambiente político com esse lixo.

Considero um perigo para o desenvolvimento sadio do processo democrático, correndo risco de gerar resultados nas urnas não condizente com a realidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atoleiro governamental

Ao que parece na história governamental potiguar, nunca um governo em quatro anos deu tão errado, sem conseguir sair da crise financeira ...

MAIS VISITADAS